OS ENCANTOS DA LAVANDA: A FLOR MAIS AMADA ENTRE OS BRASILEIROS
Com perfume inconfundível, a lavanda segue, década após década, a matéria-prima ícone de Phebo. Impossível não cair de amores

Atemporal é palavra-chave para entendermos o poder de encantamento da lavanda. Década após década, segue sendo a fragrância-xodó de tanta gente, mundo afora. Com perfume delicado e poderoso ao mesmo tempo, a lavanda faz parte das nossas lembranças mais afetivas: nos remete à infância, à família, às férias, aos dias de sol ao ar livre... É impossível, por exemplo, olharmos para uma fotografia de um campo de lavanda, na Provence, na França, e não sentirmos imediatamente todo o frescor e aconchego (pode fazer o teste!). 


Pioneirismo no Brasil 

Aqui no Brasil, Phebo foi a perfumaria responsável por apresentar a lavanda ao mercado nacional, no início dos anos 40, em Belém do Pará (para o Sul do país, sua comercialização só foi iniciada em 1957). 

Em 1946, foi lançada a colônia que viria a se chamar Seiva de Alfazema. Originalmente, ganhou o nome de Lavanda Phebo – e logo virou um dos best-sellers da marca. Na época, tentaram registar seu nome, mas não foi possível por “lavanda” ser considerado um “tipo” de perfume e não uma marca. 

Por conta desse impasse, em 1954, Phebo inspirou-se em sua própria história e mudou o nome da fragrância para Seiva de Alfazema. Foi em um passeio pelos Alpes Suíços, que Mário Santiago, um dos fundadores da marca, se encantou pelo cheiro de uma florzinha roxa chamada Alfazema: pronto, daí surgiu o nome da colônia hit de Phebo, a Seiva de Alfazema. Apesar de os brasileiros pouco conhecerem a flor típica da Europa, seu perfume rapidamente virou uma verdadeira paixão nacional. 

Atualmente, Phebo tem duas fragrâncias: Lavanda, da linha Águas de Phebo, e Alfazema Provençal, da linha Mediterrâneo. Difícil escolher só uma! 


Com perfume que agrada a gregos e troianos, a lavanda fica linda na decoração 

Na hora de decorar, a delicada flor, ora lilás, ora roxa, também é unanimidade: agrada aos mais variados gostos. Além de fazer arranjos (use vasos brancos e bules para dar o clima provençal), fica lindo enfeitar em volta dos vidros das velas ou usar as pequeninas flores como porta-guardanapos. A ideia é liberar a imaginação e fazer como você bem entender – quanto mais inusitado, melhor. 


Uma florista apaixonada por lavanda


Há dois anos à frente da Haste Studio, em São Paulo, a florista Roberta Cervatti faz parte do grupo de pessoas apaixonado pela lavanda. Formada pela New York Flower School, ela trabalhou por cinco anos em Nova York, além de dois em Paris antes de retornar ao Brasil.  

“Minha avó cultivava alfazema, como ela chamava a lavanda, no jardim de sua casa, em Curitiba, e sempre me presenteava com sachês das suas flores. Como eu amava aquele perfume! Sempre que sinto, lembro dela – e da minha infância. É como se fosse um filme, eu ali pequena cheirando as flores e observando as abelhas que apareciam nos dias de sol... Acho que a lavanda tem esse poder de transportar as pessoas para lembranças profundas... talvez por isso seja tão amada. Adoro usá-la em minhas criações, costumo misturar com anastácia, callas, jasmim e samambaia. A cor incrível e o movimento tão leve trazem aquela sensação de campo, de flor que acabou de ser colhida.”



PARA MAIS INSPIRAÇÃO:

hastestudio.com

flowerschoolny.com





Aproveite: Atualmente, a marca conta com duas fragrâncias: Lavanda, da linha Águas de Phebo, e Alfazema Provençal, da linha Mediterrâneo.