PODCASTS BRASILEIROS PARA ACOMPANHAR DURANTE A QUARENTENA. CONFIRA!

Muitas discussões e novos pontos de vista que vão agregar ao seu dia a dia

Antes da quarentena e do isolamento social, que temos enfrentado como medida de proteção contra a Covid-19, os podcasts já eram grandes companhias — durante a prática de exercícios físicos, no trânsito, no intervalo do almoço… Eles têm ajudado a trazer mais informação ou algum tipo de conforto e entretenimento.

De acordo com a Spotify, o Brasil é o segundo maior mercado para os podcasts, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. De acordo com o Ibope, 40% dos usuários de internet também consomem podcasts. Com tantas opções de formatos e temas, os podcasts brasileiros se tornaram uma ótima opção durante a quarentena. Ao passarmais tempo em casa, as pessoas podem consumir mais conteúdos assim para aproveitar o período.

Alguns formatos de podcast nos fazem sentir que estamos conversando com amigos sobre temas variados, como é o caso do "É Noia Minha?", feito pela publicitária, escritora e roteirista CamilaFremder. Com mais de um ano de existência, o podcast traz convidados que discutem temas como responsabilidade emocional e procrastinação.


Nós conversamos com a Camila sobre sua produção e trouxemos várias opções de podcasts brasileiros que podem ser ótimas companhias — não apenas durante este período, mas em qualquer momento. Confira!

O segredo do sucesso do "É nóia minha?"

Não é qualquer tema que é discutido no podcast de Camila Fremder, não. “Geralmente são coisas que ficaram fritando na minha cabeça. O tema precisa ser uma nóia minha para eu me empolgar”, comenta a publicitária.

Desde a criação, Camila sentiu que ficou mais fácil trazer novos convidados. “O público que ouve também aumentou — no Instagram do É nóia minha? sempre tem uma continuação do podcast nos comentários e isso cresceu bastante”. Esse é um ótimo retorno para quem ficava com receio de pouca gente ouvir: “sabe aquele medo de dar uma festa de aniversário e ninguém ir? Essa era a minha nóia no começo, achando que ninguém ouviria”, diz Camila.

Agora, com o distanciamento, a presença física dos convidados ficou prejudicada, mas isso não quer dizer que o podcast vai pausar. “Eu comecei gravando de casa, com técnico. Depois, passei a gravar no Spotify, porque o É nóia minha? é exclusivo deles. Agora, recebi uma caixa com o equipamento (fiquei nervosa no começo), gravei alguns sozinhas e um pelo telefone com a Julia Petit. Ainda não arrumei um jeito prático de gravar com dois convidados. Estou me adaptando a essa realidade”, explica Camila Fremder.