Saiba tudo sobre a história da perfumaria no Brasil

Saiba tudo sobre a história da perfumaria no Brasil
Publicado em: Biblioteca Olfativa

Embarque nessa viagem riquíssima e fique por dentro de como surgiram os perfumes em nosso país!

Conhecer a história da perfumaria no Brasil é uma excelente forma de descobrir as origens e entender um pouco mais sobre o desenvolvimento das fragrâncias nacionais. Desse modo, além de viajar para o passado, você também descobrirá quais as principais tendências para os próximos anos.

Através dos séculos, a perfumaria brasileira foi se aprimorando até se tornar o que conhecemos hoje. Para apresentar as principais curiosidades dessa rica trajetória, convidamos Helen Augusto, especialista em perfumes, que vai revelar alguns dos segredos do sucesso desse mercado.

Qual é a origem dos perfumes brasileiros?

Helen começa nossa viagem pela história explicando que o gosto brasileiro por cheiros — responsável por fazer do Brasil o maior consumidor mundial de perfumes em termos de volume — vem dos indígenas.

Para eles, o ato da perfumação, obtido com os banhos de cheiros, repletos de ervas, folhas, raízes e sementes, era uma forma de higiene, além de um modo de se relacionarem com seus deuses. Já para os europeus, esse cuidado estava apenas ligado à ideia de mascarar os odores.

Helen ainda destaca que “esses banhos de cheiro vieram da abundância da biodiversidade brasileira e se perpetuam como costumes regionais, principalmente no norte e nordeste do Brasil”.

A influência da perfumaria moderna no século 20 não diminuiu o gosto pelos banhos de cheiro, ou águas de cheiro, que ainda são bastante comuns no norte do país. Assim, por muitos anos, os brasileiros recorreram a produtos perfumados, tipo sabonetes e colônias, como as da Phebo e da Granado.

A especialista também relata que, nos anos 80, a perfumaria brasileira começa seu processo de modernização, mas isso se intensifica apenas nos anos 90, quando marcas locais começam a criar suas próprias formulações.

Quando surgiram as primeiras perfumarias brasileiras?

“Muito antes das mais conhecidas e usadas fragrâncias nacionais nos anos 70, a Phebo, fundada em 1930, lançou a Seiva de Alfazema (1946), uma fragrância compartilhável, construída em torno da lavanda, com notas aromáticas de sálvia e alecrim, que marcou gerações”, explica Helen.

Ela destaca que isso faz parte do que chamamos de “cheiros de memória” do Brasil. Além disso, seu sabonete Odor de Rosas, uma criação à base de um buquê de rosas com cravo-da-índia, couro e pinho, por muito tempo perfumou a classe média brasileira.

Outra perfumaria que se destaca é a Granado, fundada em 1870. Segundo Helen, “ela é considerada a farmácia da família imperial brasileira, tendo tratado, cuidado e perfumado o Brasil por mais de 150 anos”.

Porém, foi apenas nos anos 1970 que a perfumaria brasileira ganhou impulso aqui e ali, fortificando-se nos anos 1990, com a presença intensa das maiores casas de perfumaria internacionais, que fornecem para marcas estrangeiras.

E como a perfumaria avançou no Brasil?

“O Brasil desponta como o país que mais consome frascos de perfumes no mundo. Essa demanda gera apostas em tendências, inovação e serviços para acompanhar os desejos dos consumidores”, destaca Helen.

Além disso, o país é foco para criação de fragrâncias, e o mercado nacional amadureceu. Nos dias atuais, vemos embalagens de alta qualidade, com perfumes criativos e competitivos, sendo sucesso nas exportações. Helen também afirma que “existe crescente interesse de perfumistas internacionais para migrarem para o Brasil a fim de criarem seus produtos”.

Quais as principais fragrâncias dos perfumes brasileiros?

Entender o gosto dos brasileiros pode lhe ajudar a encontrar os perfumes nacionais ideais para você. Nesse sentido, nossa especialista destaca que “os florais são preferência nacional entre as mulheres, assim como os aromáticos e amadeirados são as preferências entre os homens”.

Isso tem se fundido cada dia mais, com a emergência das fragrâncias compartilháveis. Contudo, “num país de mais de 200 milhões de habitantes, em que 78% (cerca de 170 milhões da população) afirma consumir fragrâncias alcoólicas, a expectativa por fragrâncias diferenciadas e lançamentos é grande”, ressalta Helen.

Por isso, vale ficar de olho nas principais tendências de perfume do mercado, além de entender quais são os ingredientes mais utilizados e os que podem ganhar destaque em um futuro próximo.

Quais os principais ingredientes usados nos perfumes brasileiros?

Helen frisa que “os ingredientes usados nos perfumes brasileiros são os mesmos utilizados nas perfumarias de todo o mundo”. O que difere são as construções das fragrâncias, com mais ou menos frescor. Alguns dos mais clássicos que a especialista cita são:

  • cítricos: limão, laranja, toranja, grapefruit, mandarina e tangerina;
  • verdes: ruibarbo, petitgrain e herbais;
  • aromáticos: lavanda, cidreira, capim-limão, alecrim e artemísia;
  • florais: rosa, jasmim, flor de laranjeira, néroli, tuberosa, ylang, peônia, magnólia, muguet;
  • amadeirados: cedro, sândalo, oud, patchouli, vetiver e guáiaco;
  • orientais: doces (baunilha, tonka, maltol, pralinê), resinas (mirra, frankinsence), musk, âmbar etc.

Quais as tendências da perfumaria para os próximos anos?

A pandemia mudou os hábitos dos consumidores no mundo todo. A compra de fragrâncias online cresceu e demandou novos padrões pelo consumidor. Nesse sentido, “pode-se esperar maior qualidade na apresentação, ter itens presenteáveis com inovação na embalagem, maior substantividade e duração das fragrâncias”, acredita Helen.

Além disso, as tendências olfativas virão em torno dos frescores de saída, reduzindo o dulçor açucarado dos últimos 10 anos. Helen destaca mais algumas tendências, como:

  • notas ambaradas, com madeiras cashmere, leves, quentes, amadeiradas, polvorosas (powdery) e musk, levemente especiadas;
  • frutas aparecem para dar brilho a uma interpretação, não necessariamente evidentes, com maior espaço para as frutas mais lactônicas, enriquecendo acordes florais;
  • notas verdes, herbais, fougeres, especiarias — como os lados frescos da lavanda, pinho e menta — ganham mais destaque;
  • madeiras seguem em alta, com vetiver, cedro, sândalo, patchouli, oud menos intenso;
  • florais cada dia mais intensos — flor de laranjeira, néroli, rosa, jasmim, jasmim sambac, tuberosa, ylang ylang, gardênia etc.

Viu como a história da perfumaria no Brasil é tão rica e capaz de capturar a essência brasileira por meio de suas fragrâncias? Ao realizar essa viagem por toda a evolução desse ramo, você consegue entender mais sobre esse tipo de produto e pode fazer boas escolhas para seu dia a dia.

Quer aprender mais sobre a perfumaria e como escolher opções alinhadas ao seu estilo? Então siga nosso perfil no Instagram!

 

Carregando...
360 visualização(ões)

Colaborou para este conteúdo

Helen Augusto
Helen Augusto

Sempre se sentiu atraída pelo fascinante mundo das fragrâncias. Após ter trabalhado na Givaudan durante mais de 20 anos, ela se mantém conectada com a perfumaria, com os consumidores e a indústria pelo seu canal do YouTube e Instagram, nos quais compartilha seu conhecimento e entusiasmo pelos perfumes. Também tem uma sólida abordagem técnica e conceitual, mas adora contar histórias, falando sobre os seus encontros com diferentes ingredientes, perfumes e perfumistas. É também autora e tradutora de artigos para o Fragrantica em língua portuguesa, a maior revista digital de fragrâncias no mundo.

Comentários
Deixe o seu comentário
Seu endereço de e-mail não será publicado